Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos

Notícias

Secretaria de Direitos Humanos não compactua com decisão que permite o tratamento da homossexualidade

 20/09/2017 - 15:03h - Atualizado em 20/09/2017 - 15:04h


A Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Politicas para Mulheres e Idosos (SEDHMI), através do programa Rio Sem Homofobia, considera ilógica a decisão da Justiça do Distrito Federal que concedeu uma liminar autorizando psicólogos a oferecerem terapia de reversão sexual, conhecida como 'cura gay'. A SEDHMI classifica tal decisão como um retrocesso aos direitos da população LGBT além de conflitar com todas as políticas públicas desenvolvidas para o segmento LGBT no estado Rio de Janeiro nos últimos anos. A liminar reforça a LGBTfobia em um país onde um LGBT é morto a cada 25 horas.

 

Ao contrariar uma resolução do Conselho Federal de Psicologia, que proíbe tratamentos de reorientação sexual, a decisão faz uma clara violação aos direitos humanos sem qualquer embasamento científico. Desde 1990, a homossexualidade não é considerada doença pela Organização Mundial da Saúde.

 

A SEDHMI não compactua com qualquer decisão, propaganda, ação ou conteúdo que desrespeite o exercício efetivo do direito à sexualidade, e reforça sua defesa em prol dos direitos e das políticas públicas voltadas à população de LGBT. 




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial