Notícias

Você está aqui: Início/Notícias


Witzel discute novo pacto federativo com presidentes da Câmara e do Senado


O governador Wilson Witzel se reuniu, na tarde desta terça-feira (23/4), com os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, em Brasília, para alinhar o encontro agendado no próximo dia 8 de maio, no qual os 27 governadores irão apresentar aos presidentes das duas Casas e líderes de bancadas uma nova proposta para o pacto federativo.

 

- Viemos trazer propostas que possam ajudar a reequilibrar as contas dos Estados e, ao mesmo tempo, ajudar a aprovar a Reforma da Previdência, que é um projeto do país. Espero que consigamos fechar uma pauta positiva para os entes federativos e a União, e contamos aqui com o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia - falou Witzel, após a reunião na residência oficial do presidente da Câmara.

 

Entre as propostas levadas por Witzel e o Fórum de Governadores, estão a mudança nas leis que permitem a abertura de concessão pelos entes federativos, e a facilitação de repasses dos fundos de segurança pública, do sistema penitenciário e de Educação Básica (Fundeb).

 

Na ocasião, Maia agradeceu a liderança do governador Witzel e prometeu apoiar o andamento das propostas no Legislativo.

 

- Agradeço ao governador pela liderança nessa reunião. No dia 8, teremos uma grande pactuação federal, através da Câmara e do Senado, olhando os projetos de interesse do Brasil. Vai ter muita coisa positiva nessa pauta para conseguir recursos para os estados. Também estamos pensando em resolver a situação do Rio. Tem muita coisa parada - afirmou Maia.

 

Fórum de Governadores

 

Mais cedo em Brasília, Witzel participou do IV Fórum de Governadores, que compilou as propostas debatidas em reuniões anteriores para uma atuação efetiva.

 

- Nós elencamos algumas propostas, como a ampliação da participação da União na capitalização do Fundeb, a aprovação da Lei Kandir, que trata da compensação de impostos, a descentralização do poder de concessão de energia elétrica, portos e aeroportos nos estados, e também o projeto que torna mais fácil o repasse de fundos importantes aos estados, como o da segurança pública e do sistema penitenciário. Vamos trabalhar agora nos textos. O fórum deixou de ser de debates e passou a ser um Fórum de ação - afirmou.

 

A próxima reunião está prevista para o dia 11 de junho.